terça-feira, 12 de outubro de 2010

...e tudo começou...

Dia 12 de outubro de 2010, tudo começou, é claro, tomando vinho.
Um casal de grandes amigos veio nos visitar, pois era dia das crianças e como eles são os "padrinhos do coração" de nossas filhas e "sempre" estão conosco, obviamente apareceram para nos presentear, não só com presentes para nossas filhas, mas também com suas presenças marcantes e agradáveis.
E tudo neste universo da enofilia é baseado no amor às pessoas, na cumplicidade dos relacionamentos, na pureza dos sentimentos, o vinho e a gastronimia em si são artifícios para a reunião de pessoas que gostam de curtir boa música, bons papos, boa comida e sobretudo, bons vinhos, sem necesssariamente gastar muito, pois existem bons vinhos a bons preços nos supermercados e empórios que podemos curtir com a mesma ou até melhor intensidade de quem tem cacife pra pagar mais de 50 ou 100 reais por uma garrafa de vinho.
Pois bem, estávamos nós, eu e minha esposa Andréa nos preparando para sair com as crianças, quando o meu xará Marcos (My Girl) e a Vanessa nos ligaram avisando que viriam visitar nossas filhas pois era dia das crianças (redundância).
Eles chegaram e eu fui pra cozinha preparar uns comes e bebes, sou de família potuguesa e visita de bons amigos na minha casa não sai sem comer e beber bem.
Também tinha Há Tempos (Legião Urbana) uma idéia de reunir pessoas em torno de um objetivo, beber vinho e curtir (são dois objetivos, mas tudo bem), resolvi que dali em diante eu colocaria em prática essa idéia e divulgá-la e o My Girl deu a idéia do blog.
Parafraseando nosso querido presidente Lula: " sem querer me gambar"...tenho uma boa adega de bons vinhos de supermercados e começamos a tarde tomando um Salentein - Malbec 2002 - Argentino, comendo um queijinho Pecorino que arrematei no Pão de Açúcar, numa promoção por R$ 9,90, tinha na geladeira uns 700 gr de bife de coxão duro, que fatiei e temperei com alho, shoyo e sal e fritei numa panela woc (porque a empregada tinha feito a faxina um dia antes e se fosse na frigideira a Andréa ia me matar) e a carne ficou show - também a fome colaborou!
Quando dei por mim o vinho tava no final, foi quando fui na minha reserva pessoal - que chick -  e peguei um Santa Helena - Carmenere - Chileno Gran Reserva 2005 - e fritei o restante da carne que era o almoço das crainças no dia seguinte...rsrsrs...porém, a fome só aumentava e como eu tinha feito um caldo verde na noite anterior com uma linguicinha vinda diretamente de Portugal elaborada artesanalmente em Vagos, que só quando minha mãe vai pra lá...hummmmm...tomamos uns dois pratos de caldo verde...dos deuses...daí me lembrei que tinha na geladeira uma "terrina" olha o termo arcaicamente português..terrina com pinhão e atacamos o dito cujo, não comentei o pão, mas para português está implicíto o pão e o azeite, tá?
Já estávamos satisfeitos...ah...e isso tudo ouvindo e assistindo a bons clipes dos anos 70 - 80 - 90 com muito New Wave e Rock'n Roll... assunto é o que não faltava...a essa altura estávamos falando mal de alguém que não me lembro o nome rsrsrs...mas voltando à enogastronomia, quando estávamos satisfeitos lembrei que tínhamos pêssegos e alguns docinhos e salgadinhos que sobraram de uma festa que a Andréa organizou e abri um Fontana Freda - Asti - Mascatel que degustamos com salgadinhos a base de calabresa e damasco e pêssegos...divino...a essa altura o papo estava num tal de Rocco, talvez seja um vinho Italiano, pois da cozinha eu só ouvia: ...parece uma garrafa... sei lá que vinho é esse que a mulherada tanto gosta...mas vou descobrir!
Então me lembrei de um artigo que dizia que, na Europa, nos vinhos com a denominação de origem controlada são proibidos a adição de açúcar e outros aditivos, mas que no Brasil isso é permitido, não só a adição de açúcar, como também um clarificante...não sei porque eu lembrei disso e qual a relavância, talvez tenha sido inconscientemente a deixa para eu abrir mais uma garrafa de vinho, agora um brasileiro Garibaldi - Moscatel, com sua perlage(bolhinhas) e aroma deliciosos e num balde de gelos com a temperatura já ideal, não sei porque mas nós ríamos muito e de qualquer coisa.

Não precisamos de muita coisa, apenas boa vontade e amigos e a velha e famosa "faxina na geladeira", pra quem assistiu ao desenho "Ratatouille" sabe que o improviso é essencia da gatronomia.
Queria compartilhar com vocês a cada evento minha percepção a respeito desse mágico mundo dos vinhos e sua relação com as pessoas, mesmo porque eles só são bons porque nós, os amigos existimos e tornamos inesquecíveis os momentos que nos utilizamos deles para alegrar nossas noitadas.
Saúde a todos e até a próxima e que seja bem próxima!!!
Termino com um provérbio espanhol:

"Para vinho ter gosto de vinho, deve ser tomado com amigos" 

Marcos.

2 comentários:

  1. A lembrança dessa tarde gostosa me fez ficar nostálgica. Adorei tudo, cada palavra e não tinha data melhor pra começar! Dia das Crianças, Nossa Senhora de Fátima...tudo a ver com você. Parabéns!!!!

    ResponderExcluir
  2. Se tivéssemos combinado não teria dado tão certo.
    Com certeza muitas outras virão.

    Abraços

    ResponderExcluir